fbpx

Como funciona o processo de reconhecimento do diploma estrangeiro de medicina, o Revalida.

Como funciona o processo de reconhecimento do diploma estrangeiro de medicina, o Revalida.Postado: 13/10/2015


Como funciona o processo de reconhecimento do diploma estrangeiro de medicina, o Revalida.

É muito comum a procura dos brasileiros pelos cursos de graduação no Paraguai ou até mesmo em outros países; isso se da por vários motivos, tanto valores de mensalidades, quanto baixo custo de vida. Mas e depois de formado?. Aqui surgem várias dúvidas de como validar o diploma estrangeiro, então entenda como funciona o processo de reconhecimento do diploma estrangeiro de medicina, o Revalida.

reconhecimento do diploma estrangeiro de medicina, o Revalida.

Reconhecimento do diploma estrangeiro de medicina

Anteriormente a criação do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas – Revalida os médicos que eram graduados no exterior deveriam procurar alguma Universidade Pública de Medicina para poder reconhecer seu diploma. ficando a mercê dos critérios individuais de cada universidade, o que às vezes acabava sendo bem dificultoso.

Depois de 2010, ano em que se realizou o projeto piloto do Exame, o INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), unificou o processo objetivando mais agilidade, confiabilidade e eficácia.

O Exame é realizado anualmente, fique ligado no calendário de inscrição. Existem mais de 40 (quarenta) instituições públicas de ensino superior aptas para aplicar o exame, você pode consultar as instituições pelo site http://revalida.inep.gov.br/revalida/inscricao/.

Mas o que é o Revalida?

Ela nada mais é que um exame, uma prova para testar e reconhecer as habilidades dos médicos formados no exterior, para que estes possam atuar em território brasileiro.

Lembrando que qualquer pessoa que queira exercer a profissão de médico registrado no CRM do Brasil, seja ele estrangeiro ou não, precisa validar o seu diploma.

Existe outra forma de validar seu diploma, você pode pedir transferência para uma faculdade aqui no Brasil antes de concluir o curso, mas isso poderá custar ainda mais belos meses ou anos de estudos.

Existe alguma exigência para realizar a inscrição no Revalida?

Sim, você precisa ser brasileiro, ou possuir cidadania brasileira, ser registrado no Cadastro Pessoa Física – CPF, e ser formado por uma instituição de ensino superior estrangeira que seja reconhecida pelo órgão responsável por fiscalizar as instituições de ensino de seu país de origem.

Uma informação importante é que você deve possuir o diploma em mãos na hora de fazer sua inscrição, pois você vai ter que enviar uma foto digitalizada do diploma.

Leia também: Estudar medicina no Paraguai: Tudo o que você precisa saber para se legalizar e estudar no país.

Onde posso fazer a inscrição?

Você pode fazer sua inscrição para o Revalida na internet pelo site da INEP – http://revalida.inep.gov.br/revalida/inscricao/, tendo em mãos o seu CPF, seu diploma, e a indicação da instituição pública de onde deseja adquirir a revalidação do seu diploma, bem como onde realizará seus exames.

Depois de feita sua inscrição será gerado um cartão de confirmação de sua inscrição que pode ser consultado na página do INEP com o numero do seu CPF, basta fazer seu cadastro.

Como funciona o Exame?

A prova do revalida é composta de duas fases, a primeira fase é a prova teórica.

Onde você encontrará 100 (cem) questões de múltipla escolha valendo 01 (um) ponto cada, e 05 (cinco) questões descritivas; valendo 10 (dez) pontos cada.

Já a segunda fase é a prova prática.

Neste caso é a Prova de Habilidades Clínicas, formada por 10 (dez) pequenos testes, valendo 10 (dez) pontos cada; que visam testar as capacidades e habilidades práticas dos candidatos.

A prova tem caráter eliminatório nas duas fases. Portanto se você não atingir 85 pontos na somatória das questões objetivas com a descritiva; você não será considerado apto para passar para a prova de habilidades clínicas.

Os conteúdos que são cobrados no exame do Revalida são em síntese, baseados nos exames anteriores:

  • Clínica médica: é o conteúdo mais cobrado na prova, estima-se pelo menos umas 30 questões referentes a clínica médica.
  • Ginecologia/Obstetrícia: este conteúdo representa 20% da prova, então estima-se uma média de 20 questões da área de ginecologia/obstetrícia.
  • Cirurgia: estas questões são as mais incertas. Entretanto espera-se uma média de 20 questões na área de Cirurgia.
  • Pediatria: Esta não é das mais famosas então espere uma média de 17 questões para a prova.
  • Saúde coletiva/preventiva: Essa também é uma disciplina pouco cobrada no exame. Mas mesmo assim atinge uma média de 14 questões.

Apesar de O Revalida ser a forma mais prática de validar o diploma muitas pessoas ainda recorrem para outros meios; como se transferir para uma universidade pública brasileira.

A razão de todo esse temor se dá por vários motivos; dentre eles é a dificuldade do exame, o processo ser muito burocrático; a incerteza da aprovação até mesmo a falta de preparo dos candidatos.

E com razão esse temor todo; pois os dados das edições anteriores não são nada animadores para quem sonha em passar no exame.

Em 2011 apenas 12,13%. E, em 2012, somente 9,85% dos candidatos passaram, em 2013, o índice despencou foi para 6,83%.

Mas aqui vai uma boa notícia para quem ainda não perdeu as esperança. Em 2014, os aprovados aumentaram para 32,62%, o que mostra um considerável aumento no índice de aprovação.

Bom é isso ai, mesmo que o exame do Revalida tenha um nível de dificuldade complexa, o jeito é estudar e estudar, agora para o resto você pode contar com a CIM Consultoria, ela é especializada em solucionar os seus mais difíceis problemas burocráticos.


Comentários

Facebook

WhatsApp chat